O que é CDN e como o conteúdo é disponibilizado

Uma CDN (Content Delivery Network - ou Rede de Fornecimento de Conteúdo) é uma rede globalmente distribuída de servidores web, hospedados em ambiente propício e com ótima conectividade em diversos datacenters, nos quais os grandes provedores de conteúdo, como Google e Facebook, mantêm armazenadas réplicas de seu conteúdo, com o objetivo de permitir o acesso ao mesmo de maneira mais rápida, com maior disponibilidade e sem "onerar" o tráfego da internet global.

As CDNs são compostas de conteúdo não dinâmico, armazenado em arquivos. Esse conteúdo fica gravado na memória de servidores (caches) e é replicado e atualizado constantemente em toda a Rede CDN, ou seja, em todos os locais / Datacenters onde os servidores estão hospedados, de maneira praticamente simultânea.  O retorno da requisição web dos visitantes baseia-se na localização geográfica dos mesmos, para, por padrão, sempre conectá-los ao servidor mais próximo ou a partir do qual a conexão seja mais rápida – do local onde tenha menos “saltos” - reduzindo o tempo de transferência dos dados (latência). Assim, um visitante tem acesso a uma cópia dos dados desejados em locais mais próximos de sua conexão, o que permite uma resposta mais rápida à sua requisição e menor uso de banda internet como um todo.

 Além disso, as CDNs oferecem recursos de otimização e proteção em seus servidores, os quais permitem um melhor desempenho no carregamento de sites, vídeos e streamings, assim como acesso a conteúdo livre de vírus, worms, spywares e outros intrusos. Os CDNs rodam aplicativos como Aceleradores de Vídeos, Aceleradores Web, Caches de Conteúdo Dinâmico, Web Application Firewall, Antivirus e outros, os quais preparam melhor o conteúdo a ser disponibilizado.

Um pouco sobre o CDN Google - GGC (Google Global Cache)

O Google possui uma plataforma de distribuição de conteúdo multicamadas - CDN -  que atinge mais de 100 países. O objetivo do Google é fornecer conteúdo e serviços Google, o mais perto possível dos usuários, a fim de proporcionar o melhor desempenho possível. O conteúdo original está hospedado no Centro de Dados do Google. Esse conteúdo é replicado para vários outros centros de dados para redundância e serviço mais eficiente para os usuários finais. O Google Global Cache (GGC) representa a camada final da plataforma de entrega de conteúdo do Google, e está mais próximo para os usuários. 
A W8 possui um Nó GGC em sua rede, com capacidade de 100 terabytes de armazenamento! Com o GGC, a W8 pode servir conteúdo popular Google, com o melhor desempenho possível para seus provedores clientes. Entre os conteúdos que estão disponíveis no GGC estão:
YouTube | Youtube Music | Youtube TV | Pesquisa | Google Plus | Google Aloo | Google Duo | Chrome | Google Play Filmes e TV | Google Maps | Google Earth | Google Docs | Google Drive | Google Scholar | Google News | Android Apps| ...entre muitos outros apps.

Conteúdo Seguro W8

No caso da W8 Telecom, hospedamos os servidores web que compõem os CDNs do Google, do Netflix da Akamai e do Facebook em nossos Datacenters, sendo que eles são parte integrante do Conteúdo Seguro W8, ao qual soma-se também o conteúdo provindo de Peerrings Diretos com outros geradores de conteúdo, assim como trocas realizadas em PTTs Metro. Em nosso núcleo de rede processamos todo esse conteúdo privilegiado, tratamos, organizamos e disponibilizamos para acesso em nossa rede interna, o que permite respostas muito rápidas às requisições sem que o ISP cliente precise utilizar sua banda de internet ou outras redes para o acesso aos dados. O custo do acesso ao Conteúdo Seguro W8 é menor do que o do Trânsito IP e, como mais de 60% do tráfego de um ISP é direcionado para conteúdo que está em CDNs ou em PTTs, a conexão a este conteúdo permite um ótimo custo benefício.


IMPORTANTE: O Conteúdo Seguro W8 é não dinâmico e armazenado em arquivos, nos storages dos servidores web. Esse armazenamento é medido em bytes e a disponibilização é realizada diretamente na rede do ISP cliente, que deve abordar com sua rede o Datacenter da W8. Se a abordagem não for possível, o ISP deve contratar um serviço de transporte de dados de alguma operadora que tenha viabilidade de conectar o Datacenter W8 à rede remota do cliente.

 

 

Data da publicação: 14/02/2019